Estudante da ESEIG fica em 2.º lugar no concurso "Dás o litro pelo Porto?"

A dupla Teresa Soares e Paulo Seco venceu o primeiro prémio do concurso “Dás o litro pelo Porto?”, promovido pela empresa Águas do Porto em parceria com a Câmara Municipal do Porto.

Em Abril deste ano, a autarquia lançou o desafio à empresa, numa clara intenção de promover o consumo de água da torneira na cidade. “Dás o litro pelo Porto?” pretende mudar os costumes dos portuenses no que toca ao consumo de água, pelo que o lançamento de uma garrafa de água oficial se revela um incentivo.

Antes de anunciar os premiados, João Pedro Matos Fernandes, presidente da Águas do Porto, salientou a “excelência da água que chega à casa dos portuenses”. O resultado é apresentado como fruto do trabalho da empresa municipal no tratamento da água, cujo melhor aliado é o preço acessível. A responsabilidade social que detém no município não foi esquecida. João Pedro Fernandes lembrou, em tom de brincadeira, que o Porto não tem como fugir à influência da empresa: “Temos toda a cidade como cliente e se não gostarem de nós, não há muito que se possa fazer”.

O concurso teve a participação de 33 propostas, sendo que apenas 15 foram aceites, as restantes não cumpriram os requisitos pedidos no regulamento. “Não basta desenhar, os trabalhos são também 'esculturas'”, salientou o presidente da Águas do Porto. Na Rua Barão de Nova Sintra, a empresa acolheu a exposição dos trabalhos admitidos e, ainda antes do anúncio dos três premiados, os presentes tiveram oportunidade de conhecer a futura garrafa de água do Porto.

O rufar de tambores não foi necessário, os premiados foram apresentados sem a criação de muita expectativa. Cru Design arrecadou o 3º prémio (500 euros), Sónia Soeiro ficou com o 2º prémio (1000 euros) e Teresa Soares e Paulo Seco conquistaram o 1º prémio (2500 euros). A dupla, constituída por uma estudante de Design do Produto da Escola Superior de Artes e Design (ESAD) e um professor de Design de Interiores, tem, a partir desta terça-feira, o modelo eleito para a futura garrafa de água do Porto.

Para Teresa Soares, uma garrafa de água tem de ser fiel ao quotidiano das pessoas, logo não poderia ter “uma forma demasiado ousada”. A base do conceito é o modo de consumir a água: seja pelo gargalo, o copo ou a palhinha, tudo depende da escolha de cada um e da circunstância.

Sónia Soeiro, estudante na Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão (ESEIG), apostou na semelhança das tampas das canetas e garrafas, para trabalhar a transparência da embalagem. Já a dupla Cru Design tentou que a arte urbana adquirisse uma conotação positiva no factor “água pública”, pelo que a inspiração partiu essencialmente das ruas.

O final da entrega dos prémios foi pontuado pela intervenção de Rui Moreira, que afirmou, num tom crítico, que “o Porto não aposta nas indústrias criativas quando não há nada para fazer”, a qualidade do design na cidade fala por si.

A fase de lançamento da garrafa de água oficial está prevista para Dezembro deste ano, pelo que agora decorrerá a negociação com as fábricas que pretendam industrializar o produto.

Fonte: Jornal Público

Autenticação

Utilize as mesmas credenciais de acesso ao Portal Académico